A importância da tecnologia na cirurgia de catarata

google-glass-surgeon-1-537x402

A cirurgia da catarata é hoje totalmente dependente de tecnologia.

Verdadeira ou falsa esta afirmativa?

Este fato é um fator positivo ou negativo para médicos e pacientes?

Vamos analisar juntos alguns pontos:

1º) O paciente

A catarata é uma doença que afeta, na imensa maioria das vezes, indivíduos acima de 60 anos de idade, faixa da população tem hoje a expectativa de vida aumentada (Brasil: 73a, Japão: 84a) e que sabedores da sua provável longevidade continuam ativos após a 6ª década de vida. Para se manterem ativos, investem em qualidade de vida e na prevenção de doenças da 3ª idade. A visão tem relevância dentro do conceito de qualidade de vida e ao se defrontarem com a possibilidade da cirurgia da catarata se informam sobre o que “é mais avançado”, “o melhor”, “o mais seguro”, “o que tecnologicamente é mais novo”. Este é o novo paciente que eu chamo de cliente-consumidor, pois apresenta muitas exigências que não existiam no passado.

2º) A preparação para a cirurgia

Após o diagnóstico de catarata, o paciente irá realizar alguns exames oftalmológicos complementares que visam organizar a melhor estratégia cirúrgica e a que melhor traga o desejado sucesso pós-cirurgia. Dentre os exames solicitados atualmente, destacamos:

  • A microscopia especular de córnea, que avalia a saúde desta importante estrutura do olho e orienta no sentido da segurança cirúrgica;
  • A avaliação da superfície da córnea, por meio da topografia, muito importante para avaliar possíveis imperfeições (astigmatismo) da córnea e que possam ser corrigidas durante a cirurgia, com o intuito de se obter a melhor visão no pós-operatório;
  • O cálculo da lente intraocular, por meio da biometria óptica, de fundamental importância para conseguir indicar o modelo e o grau adequado da prótese que irá substituir o cristalino com catarata;
  • A avaliação da retina, clinicamente feita por meio da oftalmoscopia indireta, e quando necessário com o uso da tomografia da mácula (OCT), de importância fundamental para avaliar a retina central, responsável pela visão fina ou visão em detalhes.

Estamos falando de tecnologia e vemos como são importantes estes exames para garantir um estudo detalhado de cada caso, antever um resultado satisfatório e não frustrar a expectativa do paciente. Esta, a expectativa, deverá ser a mais próxima do real.

3º) A cirurgia

O ato cirúrgico, a realização da cirurgia está hoje dependente de alta tecnologia com a utilização de microscópio cirúrgico, tecnologia de ultrassom torsional no facoemulsificador (aparelho destinado a “aspirar a catarata”), técnica de microcirurgia com instrumental de alta tecnologia e lente intraocular de tecnologia avançada, também conhecida como lentes Premium.

Se a cirurgia tem por objetivo retirar a catarata que afeta a quantidade e a qualidade de visão, a substituição deste cristalino doente pelas modernas lentes intraoculares é considerada um dos notáveis avanços da moderna medicina e provavelmente a que maior influência tem na qualidade de vida.

De uma maneira genérica e didática, as lentes de tecnologia avançada podem ser de focos únicos (monofocais) que visam corrigir defeitos de visão associados à catarata como miopia, hipermetropia, astigmatismo. Também existem as de focos múltiplos, que além da correção destes defeitos oferecem a possibilidade de corrigir a visão para perto; a famosa vista cansada ou presbiopia.

Devemos lembrar que tecnologia não significa somente aparelhos, equipamentos, próteses, ela tem um significado mais amplo, pois a moderna cirurgia de catarata é realizada com técnicas modernas de anestesia, ministradas por anestesiologistas que utilizam as melhores e menos invasivas tecnologias em uma cirurgia que é realizada em pessoas geralmente idosas e às vezes portadoras de doenças sistêmicas. Esta cirurgia é realizada em sistema de alta imediata e para isto a alta tecnologia em equipamentos e na utilização de drogas anestésicas de última geração estão presentes.

4º) O antes e o depois

O pré e pós-operatório da cirurgia de catarata é muito amigável, com repouso relativo e utilização de colírios de antibióticos de última geração que fizeram cair a incidência da infecção pós-operatória a níveis incríveis (prevalência 0.06%), além de anti-inflamatórios e lubrificantes.

5°) O resultado final

O resultado final esperado da cirurgia da catarata é a recuperação da visão com qualidade e poder oferecer a correção dos defeitos de visão que normalmente são corregidos com óculos. Não depender ou depender o menos possível de adição óptica é muito importante numa época da vida em que outras limitações podem aparecer.

Esta realidade hoje é possível devido à tecnologia que está incorporada no tratamento da cirurgia do cristalino e que se constitui na grande aliada do paciente e do médico.

Infelizmente, o lado negativo é o custo desta tecnologia, que devido ao número elevado de cirurgias realizadas por ano no mundo e que tem aumentado significativamente, traz consigo um desafio econômico-financeiro-social para o qual devemos achar uma solução.

Registre suas dúvidas ou comentários...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s